Notícias

Esporte Vôlei Feminino

A volta por cima

“Emoção que não cabe no peito”, afirma Gattaz sobre sonho olímpico

Capitã do Itambé/Minas é exemplo de superação (Foto: Orlando Bento/Minas Tênis Clube)Capitã do Itambé/Minas é exemplo de superação (Foto: Orlando Bento/Minas Tênis Clube)

Paciência e persistência. Essas são duas características que fazem parte da trajetória da central e capitã do Itambé/Minas: Carol Gattaz. Depois do corte da Seleção Brasileira na véspera dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, que fez a atleta pensar em parar de jogar, e do corte de Londres, em 2012, foi com a camisa minastenista que a jogadora construiu o caminho para voltar à elite do vôlei mundial. Prestes a completar 40 anos, Gattaz vive o melhor momento da carreira e vai realizar o sonho de representar o Brasil em uma Olimpíada.

Emocionada, a atleta do Itambé/Minas revela a satisfação de estar entre as 12 convocadas para os Jogos de Tóquio. “É um sonho que está sendo realizado, uma emoção que não cabe no peito. Foram muitos anos de trabalho para chegar até aqui e espero corresponder à altura. Não posso deixar de agradecer a todos que me ajudaram nesta caminhada, principalmente o Itambé/Minas que me deu a oportunidade de estar jogando em alto nível e a possibilidade de representar a Seleção Brasileira. Também quero agradecer a todos os torcedores do Itambé/Minas que me mandaram mensagens, estou muito emocionada com tanto carinho”, afirma Gattaz.

A convocação para os Jogos Olímpicos veio depois do vice-campeonato com a Seleção na Liga das Nações, que rendeu à atleta o prêmio individual de melhor central, além de mais uma temporada vitoriosa com o Itambé/Minas. A meio de rede, que vai vestir a camisa minastenista pela oitava temporada seguida, conquistou títulos importantes durante este ciclo olímpico e provou que está na melhor forma física e mental. Pelo Itambé/Minas, Gattaz foi campeã de duas Superligas (2018/19 e 2020/21), duas Copa Brasil (2019 e 2021), três Campeonatos Sul-americano de Clubes (2018, 2019 e 2020) e ainda foi vice-campeã do mundo em 2018.

Multicampeã Gattaz vai disputar a primeira olimpíada aos 40 anos (Foto: Orlando Bento/Minas Tênis Clube)Multicampeã Gattaz vai disputar a primeira olimpíada aos 40 anos (Foto: Orlando Bento/Minas Tênis Clube)

Carol Gattaz lembra do período em que pensou em abandonar as quadras e confessa que disputar uma Olimpíada é o maior objetivo da carreira. “Ser cortada duas vezes foi um baque muito grande. Eu joguei todos os campeonatos possíveis pela Seleção e esse era o que faltava no meu currículo. Hoje eu me sinto muito melhor do que há dez anos, tanto fisicamente quanto mentalmente. Eu me cuidei muito e procurei ajuda de profissionais, inclusive da equipe multidisciplinar do Minas, durante todos esses anos. Contei com suporte de um nutrólogo, por exemplo, para o meu corpo aguentar a intensidade dos jogos. Estou pronta e muito feliz por estar a caminho de disputar minha primeira Olimpíada. É um sonho”, finaliza a atleta do Itambé/Minas.

Patrocinador: Itambé
Patrocinador: Melitta
Patrocinador: Axial
Fornecedor de Material Esportivo: Icone

Siga as redes sociais oficiais do Vôlei do Minas:
Facebook: /mtcvolei
Instagram: @mtcvolei


Esse site armazena dados (como cookies), o que permite que determinadas funcionalidades (como análises e personalização) funcionem apropriadamente. Clique aqui e saiba mais!