Notícias

Esporte Vôlei Feminino

Vale o tri

Itambé/Minas inicia a briga pelo terceiro título da Superliga nesta quinta, contra o Dentil/Praia Clube

União e coletividade são as armas do Itambé/Minas na busca pelo tri da Superliga (Foto: Orlando Bento/MTC)União e coletividade são as armas do Itambé/Minas na busca pelo tri da Superliga (Foto: Orlando Bento/MTC)

É Minas Gerais no topo do vôlei brasileiro. É itambé/Minas e Dentil/Praia Clube frente a frente na briga por mais um título nacional. Os dois times reeditam a final da Superliga 2018/19, quando a equipe da capital levou a melhor e conquistou o bicampeonato (2001/02 e 2018/19). Em um cenário totalmente diferente, sem o calor da torcida nas arquibancadas e com cuidados redobrados, as duas equipes iniciam, nesta quinta-feira (1º/4), às 20h, a série melhor de três da decisão da Superliga Feminina Banco do Brasil 2020/21. Por causa da pandemia, a final nacional será disputada, em sistema de bolha, no Centro de Desenvolvimento de Voleibol, em Saquarema (RJ).

O segundo jogo da final está marcado para sábado (3/4), às 21h. Se preciso for, o terceiro e último duelo será na próxima segunda-feira (5/4), às 21h. O Sportv2 vai transmitir todos os jogos.

A temporada 2020/21 tem sido de bons números para a equipe minastenista. Dono da melhor campanha na fase de classificação, o Itambé/Minas fechou a primeira fase com 95,45% de aproveitamento, melhor marca do clube nas 26 edições da Superliga Feminina. Foram 21 vitórias em 22 jogos. Depois, para chegar à decisão, a equipe de Belo Horizonte eliminou o Brasília Vôlei e o Sesi Vôlei Bauru, nas quartas de final e na semifinal, respectivamente, com 2 a 0 nas duas séries. Além disso, a equipe minastenista não perde desde o dia 27 de novembro do ano passado, quando foi superada pelo Osasco São Cristóvão Saúde, na sexta rodada do primeiro turno da Superliga. De lá para cá, foram 24 vitórias, contando Superliga e Copa Brasil, competição conquistada pelo Itambé/Minas diante do próprio adversário da final da Superliga.

A equipe de Belo Horizonte também mantém invencibilidade de seis jogos diante do time de Uberlândia. A última derrota foi no Campeonato Mineiro de 2019, em 7 de novembro, quando a equipe do interior venceu por 3 sets a 2 e ficou com o título estadual.

Para o técnico Nicola Negro, o campeonato será decidido em detalhes e, quem conseguir ser mais consistente, leva o titulo. “Final é sempre uma final. São dois times fortíssimos e, com certeza, será uma excelente disputa, com jogos muito equilibrados. O Praia está em um grande momento na competição, assim como nós. Com certeza, a final será decidida em detalhes. Os dois times são muito equilibrados e não será fácil para ninguém. Não existe retrospecto, não existe estatística. Vai ser duro, mas faremos o possível para manter o ritmo que tivemos até aqui e tentar conquistar as vitórias necessárias”, destaca o treinador.

A capitã Carol Gattaz disse que o diferencial do elenco é a união. Para ela, cada jogadora faz a diferença e cada uma tem uma importância maior para o time. “As ambições individuais, com certeza influenciam no rendimento da nossa equipe, mas, aqui, ninguém quer ganhar nada sozinho. A nossa equipe é muito unida e quando percebemos que uma ou outra não está bem, a gente dá um apoio, um auxílio, nós abraçamos. Isso acontece o tempo todo, em treino, em jogos e em viagens”, revela Carol Gattaz, que também lamenta o fato de uma decisão de Superliga ser disputada sem a presença de público. “Infelizmente, vivemos um momento diferente, sem o calor e o apoio da nossa torcida, mas tenho certeza que todos os nossos torcedores estarão do outro lado da telinha enviando vibrações e energias positivas”, finaliza a capitã.

Vibrante, capitã minastenista espera um duelo difícil contra o Praia (Foto: Orlando Bento/MTC)Vibrante, capitã minastenista espera um duelo difícil contra o Praia (Foto: Orlando Bento/MTC)

Esta é a quinta vez que a equipe feminina de vôlei do Minas Tênis Clube chega à final da Superliga, que começou a ser disputada na temporada 1994/95. De lá para cá, o Minas chegou às finais de 1999/2000 e 2002/03, além, óbvio, de 2001/02 e 2018/19, quando sagrou-se campeão. Antes de se chamar Superliga, o campeonato brasileiro se chamava Liga Nacional e, na temporada 1992/93, o time minastenista subiu ao alto do pódio.

Final Superliga Feminina
1º/4 - 20h - Itambé/Minas x Dentil/Praia Clube - Saquarema (RJ) - Sportv2
3/4 - 21h - Dentil/Praia Clube x Itambé/Minas - Saquarema (RJ)- Sportv2
5/4 - 21h - Itambé/Minas x Dentil/Praia Clube - Saquarema (RJ)- Sportv2

O Campeonato Brasileiro Interclubes de Vôlei – Superliga Feminina Banco do Brasil faz parte do rol de Campeonatos Brasileiros Interclubes em que parte dos atletas dos Clubes integrados ao Comitê Brasileiro de Clubes – CBC tem as despesas de hospedagem e transporte aéreo custeadas com recursos públicos geridos por esta fonte.




Patrocinador: Itambé
Patrocinador: Melitta
Patrocinador: Axial
Fornecedor de Material Esportivo: Icone

Siga as redes sociais oficiais do Vôlei do Minas:
Facebook:
/mtcvolei
Instagram: @mtcvolei


Esse site armazena dados (como cookies), o que permite que determinadas funcionalidades (como análises e personalização) funcionem apropriadamente. Clique aqui e saiba mais!