Notícias

Esporte Vôlei Feminino

Haja coração

Itambé/Minas vence o Sesi Vôlei Bauru e faz a segunda final seguida da Superliga

Vai ter pão de queijo na final da Superliga Feminina Banco do Brasil 2020/21. O Itambé/Minas, atual campeão nacional, fará a sua segunda final seguida contra o Dentil/Praia Clube, de Uberlândia (MG). A equipe da capital mineira garantiu a vaga na decisão do campeonato ao fazer 2 a 0 na série melhor de três da semifinal contra o Sesi Vôlei Bauru. Na noite desse domingo, no Centro de Desenvolvimento do Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ), o Itambé/Minas precisou suar a camisa para vencer o time paulista, que foi um adversário duro na queda. O duelo foi cheio de emoções e marcados por altos e baixos da equipe minastenista, que, no tie-break, conseguiu encaixar o seu jogo agressivo, não perdoou o Bauru e venceu a disputa por 3 sets a 2, com parciais de 17/25, 25/22, 17/25, 25/17 e 15/8.

A central Thaisa, mais uma vez, acabou com o jogo. A bicampeã olímpica marcou 14 pontos, sendo nove de ataque e cinco de bloqueio. A oposta Danielle Cuttino foi a maior pontuadora do time, sendo decisiva no tie-break, quando marcou sete dos 15 pontos da equipe. No total, a norte-americana somou 22 pontos, sendo 21 de ataque. A capitã Carol Gattaz também esteve entre as principais pontuadoras. A central minastenista somou 14 pontos, dez de ataque e quatro no bloqueio.

Danielle Cuttino foi a maior pontuadora do Itambé/Minas, com 22 pontos (Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV)Danielle Cuttino foi a maior pontuadora do Itambé/Minas, com 22 pontos (Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV)
O primeiro jogo entre Itambé/Minas e Dentil/Praia Clube será nesta quinta-feira (1º/4), às 20h, também em Saquarema (RJ). Por causa da pandemia, o CDV recebe os jogos da semifinal e final, que são disputados em sistema de bolha, o que garante segurança aos atletas e comissões técnicas das equipes. O segundo duelo da decisão será no dia 3 de abril e, se necessário for, a terceira e última partida será no dia 5 de abril. O Dentil/Praia Clube se garantiu na decisão ao eliminar o Osasco São Cristóvão Saúde, também em 2 a 0 na série melhor de três.

Melhor jogadora em quadra, a central Thaisa destacou a coletividade do time e, segundo ela, foi o que fez a diferença no jogo desse domingo. “A gente sabia que seria um jogo digno de semifinal. Ninguém estava esperando um jogo fácil, muito pelo contrário. A gente esperava que elas iriam entrar com tudo, era a última chance que elas tinham de buscar algum resultado. Então, elas vieram enlouquecidas no saque e a gente acabou dando uma perdida porque a gente não estava conseguindo colocar a bola na mão. Eu acho que, para a gente, a virada veio no momento em que a gente se juntou e jogou como equipe. Não adianta querer fazer a diferença sozinha, isso aqui é esporte coletivo e esse é o diferencial da nossa equipe. Nos momentos difíceis, uma ajuda a outra e está todo mundo jogando por um único objetivo”, ressaltou Thaisa.

Semifinal - parte 2
O duelo da noite dessa domingo teve emoção do início ao fim. A equipe de Bauru entrou em quadra com mais consistência no ataque e soube aproveitar melhor as chances, vencendo a primeira parcial: 25/17. O segundo set, foi diferente. O Itambé/Minas se acertou, equilibrou o duelo e passou a ser mais agressivo. A central Thaisa virou uma parede no bloqueio e Carol Gattaz e Megan tiveram grande consistência no ataque. Assim, com mais qualidade técnica, o time mineiro empatou o jogo: 25/22. O Itambé/Minas não conseguiu manter o ritmo e sofreu um apagão no terceiro set. Por outro lado, o Bauru aproveitou e fez 25/17. No quarto set, domínio total do Itambé/Minas, que conseguiu aproveitar melhor as chances no ataque e levou o jogo para o tie-break: 25/17.

O set de desempate pegou fogo. O duelo teve muita disputa e emoção do início ao fim. A levantadora Macrís teve uma precisão incrível na distribuição das bolas e ditou o ritmo do ataque mineiro. Dani Cuttino foi fulminante no set e anotou sete dos 15 pontos da equipe mineira, que fará a segunda final de Superliga seguida e a nona da história no Clube.

Ficha técnica
Sesi Vôlei Bauru: Dani Lins, Tiffany, Polina, Suelle, Mara, Adenízia e Brenda Castillo (líbero). Entraram: Fê Isis, Pâmela, Carol Leite, Vanessa e Júlia. Técnico: Rubinho.

Itambé/Minas: Macrís, Danielle Cuttino, Pri Daroit, Megan, Thaisa, Carol Gattaz e Léia (líbero). Entraram: Kasiely, Pri Heldes e Camila Mesquita. Técnico: Nicola Negro.
Árbitros: Débora Santos e Sílvio Cardoso.

Semifinal Superliga Feminina
26/3 - Itambé/Minas (3 x 1 ) Sesi Vôlei Bauru – Saquarema (RJ) (25/22, 24/26, 25/19 e 25/17)
28/3 - Sesi Vôlei Bauru (2 x 3) Itambé/Minas – Saquarema (RJ) (25/17, 22/25, 25/17, 17/25 e 8/15)

Final Superliga Feminina
1º/4 - 21h - Itambé/Minas x Dentil/Praia Clube - Saquarema (RJ) - Sportv2
3/4 - 21h - Dentil/Praia Clube x Itambé/Minas - Saquarema (RJ)- Sportv2
5/4 - 21h - Itambé/Minas x Dentil/Praia Clube - Saquarema (RJ)- Sportv2

O Campeonato Brasileiro Interclubes de Vôlei – Superliga Feminina Banco do Brasil faz parte do rol de Campeonatos Brasileiros Interclubes em que parte dos atletas dos Clubes integrados ao Comitê Brasileiro de Clubes – CBC tem as despesas de hospedagem e transporte aéreo custeadas com recursos públicos geridos por esta fonte.

Patrocinador: Itambé
Patrocinador: Melitta
Patrocinador: Axial
Fornecedor de Material Esportivo: Icone

Siga as redes sociais oficiais do Vôlei do Minas:
Facebook: /mtcvolei
Instagram: @mtcvolei

Fotos: Wander Roberto/Inovafoto/CBV


Esse site armazena dados (como cookies), o que permite que determinadas funcionalidades (como análises e personalização) funcionem apropriadamente. Clique aqui e saiba mais!