Notícias

Outros

Solidariedade de raiz

A importância dos exemplos no núcleo familiar para a formação de cidadãos

A família é o primeiro grupo social com o qual iniciamos nossa convivência. Dentro dela aprendemos costumes e valores, observamos diversidade de pensamentos e vivenciamos situações que podem nos impactar, da infância até o final da vida. São os ensinamentos que recebemos dentro do núcleo familiar que irão nos influenciar e moldar nossas ações e escolhas do futuro. O exemplo é fundamental para que as crianças aprendam sobre generosidade, respeito, tolerância e perseverança e, por isso, é importante a conscientização dos pais sobre seu papel para a formação desses novos cidadãos.  

Nos últimos meses, com o isolamento social, as famílias foram colocadas em uma nova realidade que, para muitos, era improvável. Sem as aulas presenciais para as crianças e adolescentes e o trabalho em home office dos adultos levaram as pessoas que moram na mesma casa a desenvolver novos hábitos e a conviver por mais tempo, juntas. Nesse momento, os pais perceberam a necessidade de estabelecer rotinas diferentes, desenvolver novas habilidades e aproveitar o tempo junto aos filhos para disseminar um valor importante que não se aprende nos livros: a solidariedade. Até mesmo em situações corriqueiras é possível ajudar crianças e jovens a ampliar o olhar e enxergar as oportunidades de colocar em prática o que é ensinado dentro de casa. Uma roupa que ficou pequena ou está há tempos guardada no armário, um sapato, um cobertor, livros... Todos esses itens, que não são mais vistos como necessários por nós, podem fazer uma grande diferença para alguém. 

De geração para geração

Para Patricia Couto Abrantes Teixeira da Costa, voluntária do Programa Minas Tênis Solidário, é de suma importância praticar os valores que temos, como cristãos e como seres humanos. Ela participa do Programa desde 2018, mas sempre esteve engajada no serviço social, ajudando o próximo. “Fui criada pela minha avó materna e, na casa dela, sempre aprendi que onde comem dois comem três, quatro e quantos mais estiverem ao nosso alcance. Ela era daquelas senhoras que, ao receber o entregador de gás, sempre oferecia um café, uma água, um lanche. Minha avó sempre foi um exemplo sem medida para mim. Ela era muito católica e sempre me incentivou a seguir os valores cristãos, não só na teoria, mas também na prática, ajudando as pessoas”, lembra.

Como os valores são passados através das gerações, Patrícia Costa fez questão que sua filha fosse inserida na onda de generosidade e acolhimento ao próximo. “Júlia tem 13 anos. Nós adquirimos, há muito, o hábito de ler passagens bíblicas, diariamente. Depois de ler, fazemos uma reflexão, juntas, do que aquela leitura significa nos dias atuais e procuramos colocar em prática, ajudando as pessoas mais carentes. Ela é da equipe de natação do Minas e, às vezes, não podemos participar tão ativamente das ações. Mas, já fomos nos asilos levar carinho e atenção aos idosos, já participamos de campanhas de arrecadação nos jogos da Arena do Minas e sempre verificamos, em nossa casa, o que pode ser doado para outras pessoas, como roupas, alimentos, cobertores e outros itens. Dentro das nossas limitações, eu tento ensinar a ela como agir, de acordo com o que acreditamos e a levar luz para o outro”, relata.

Tudo em nossa vida se propaga através dos nossos hábitos e costumes. Por isso, a importância de incentivar nossos filhos, vizinhos e amigos a participarem da corrente do bem. Gabriel Dutra Gouvêa, 17 anos, também é voluntário do Programa Minas Tênis Solidário, desde 2019. De acordo com ele, os pais sempre o ensinaram, e a seus irmãos, a importância de doar aquilo que não utilizavam mais, para ajudar a quem estivesse realmente precisando. “Já visitei asilos com meus pais, já doamos vários itens para pessoas carentes. Era muito bom ver o resultado das nossas ações no rosto das pessoas”, diz.

Para Gabriel Gouvêa, o exemplo que ele recebeu dos pais foi o pontapé inicial para que ele decidisse trilhar seu próprio caminho. “Minha mãe comentou comigo sobre as ações solidárias do Minas e me interessei muito. Procurei saber sobre o Programa e fomos lá fazer a minha inscrição. Ainda levei um amigo comigo! Já participamos de ações de arrecadação de alimentos, e do encontro de adoção de animais de estimação. Para mim é gratificante participar dessas ações, pois eu sei que estou fazendo a diferença”, afirma.

Quando o inverno chegar...

O inverno só começa dia 21 de junho, mas as noites já estão mais frias. Desde os últimos dias do mês de maio, começamos a perceber a chegada da nova estação, e vários cidadãos, em situação de rua, têm sofrido essas mudanças climáticas. Daí, a importância de aproveitar esse momento em que as crianças e adolescentes estão em casa, sem aulas, para incentivá-los a procurar aquele item que pode aquecer essas pessoas.

No Minas, a Campanha do Agasalho será realizada entre os meses de julho e agosto. O Programa Minas Tênis Solidário receberá as doações de roupas de frio e cobertores, nos postos de coleta localizados nos pisos do Estacionamento da Rua da Bahia, na Unidade I. Os itens arrecadados serão entregues às instituições cadastradas e distribuídas a pessoas em situação de vulnerabilidade.

Faça parte da corrente do bem! Seja voluntário do Programa Minas Tênis Solidário.  Mais informações: 3516-2090 e ana.sales@minastc.com.br


Esse site armaneza dados (como cookies), o que permite que determinadas funcionalidades (como análises e personalização) funcionem apropriadamente. Clique aqui e saiba mais!