Notícias

Outros

Salvando vidas!

Saiba mais sobre doação de sangue e participe da quarta edição da ação de coleta no Minas I

Você sabia que doar sangue é um ato máximo de solidariedade e empatia? O motivo disso é que o sangue não pode ser substituído por outro componente ou remédio. No dia 11 de março, o Programa Minas Tênis Solidário realiza a quarta edição da ação de coleta de sangue, em parceria com a Fundação Hemominas.  De acordo com Viviane Guerra, assessora de Captação e Cadastro de Doadores da Fundação Hemominas, o maior desafio encontrado, desde o início da pandemia, é sensibilizar a população sobre a importância das doações. “Temos feito muitas campanhas para divulgar as medidas de segurança que adotamos, porque as doações precisam ser mantidas, permitindo que possamos suprir os estoques de sangue demandados pelos hospitais do Estado”, afirma Viviane, que é fisioterapeuta de formação, trabalha há 11 anos na Fundação, sendo os últimos dois anos, à frente da Assessoria.

Confira, na entrevista a seguir, todas as informações sobre doação de sangue e de medula óssea. Depois de tirar suas dúvidas, clique aqui para realizar o agendamento da sua doação, no próximo dia 11/3, e faça parte dessa corrente do bem!

 

Qual é a importância da doação de sangue?  

Doar sangue é se dispor a doar vida. Quando uma pessoa precisa de uma transfusão de sangue, não há nenhum medicamento que possa substitui-lo. Nós, da Fundação Hemominas, e todos os outros hemocentros dependem, exclusivamente, da solidariedade das pessoas que se dispõem a doar sangue e nos ajudar na missão de salvar vidas.

Qualquer pessoa está apta a doar sangue, a qualquer momento da vida? 

É importante que os interessados em doar sangue atendam a alguns requisitos e o principal deles é estar com boa saúde. Todos que tenham idade entre 16 e 69 anos podem se candidatar, sendo que os jovens de 16 e 17 anos devem estar acompanhados pelo responsável legal, que deverá apresentar um documento de identidade e assinar a autorização de doação. Caso esteja desacompanhado, o jovem deve apresentar a autorização do responsável legal preenchida e assinada (modelo disponível no site www.hemominas.mg.gov.br) e a cópia do mesmo documento de identidade que consta na autorização. As pessoas com idade a partir de 61 anos devem comprovar a realização de pelo menos uma doação anterior, para ser autorizado a doar sangue. Além disso, o doador deve ter peso acima de 50 kg, ter dormido bem na noite anterior, não apresentar febre ou outros sintomas gripais, mesmo que leves, e alimentar-se antes da doação, caso ela seja feita pela manhã. Após o almoço é necessário fazer um intervalo de pelo menos três horas.

Quais são os casos de restrição para os candidatos a doadores?  

É importante que o doador não tenha tido hepatite após os 11 anos de idade e não tenha sido exposto a situação de risco para doenças sexualmente transmissíveis. Além disso, o candidato não pode ter se submetido a exame de endoscopia ou broncoscopia, nos últimos seis meses, ou ter feito tatuagem, colocação de piercing, ou procedimentos estéticos, como aplicação de botox ou micropigmentação de sobrancelhas e lábios, nos últimos 12 meses. Há outras condições que podem impedir a doação de sangue, temporária ou definitivamente. Para saber mais sobre essas condições e restrições, acesse o site www.hemominas.mg.gov.br 

Como é determinado se o candidato está apto a fazer a doação de sangue?  

Para estar apto a doar sangue, o candidato passa por uma triagem clínica com um profissional, e toda a condição de saúde do doador, atual e pregressa, é avaliada. É um procedimento de total sigilo e que exige a sinceridade do doador, com o intuito de avaliar as condições para a doação de sangue, garantindo a segurança de todas as partes. Se estiver tudo certo, o doador segue para a coleta da bolsa de sangue. Após a coleta, ele recebe orientações a serem seguidas depois da doação. Todo o material utilizado é descartável e a equipe é especializada.

Qual é o caminho feito pelo sangue doado até chegar ao paciente?

A bolsa de sangue que foi coletada é encaminhada para o setor de fracionamento, que é responsável pela separação dos hemocomponentes (concentrado de hemácias, plaquetas, plasma e crioprecipitado). Simultaneamente a esse processo, são realizados os exames nas amostras do sangue  doado. Se os exames estiverem aprovados, os hemocomponentes são liberados, e seguirão para o fornecimento aos hospitais conveniados, de acordo com as solicitações. 

Por que as pessoas com baixo peso não estão aptas a doar sangue?  

A doação de sangue segue normas publicadas pelo Ministério da Saúde, além de um protocolo interno, que tem a finalidade de garantir um produto de qualidade e sem risco ao doador. O volume de sangue total a ser coletado é diretamente relacionado ao peso do doador. Para os homens, por exemplo, não pode exceder a 9ml/kg de peso e, para as mulheres, a 8ml/kg de peso. O anticoagulante presente na bolsa de coleta liga-se ao sangue, impedindo que este coagule. O volume de anticoagulante da bolsa é padronizado para um mínimo de 400ml de sangue. Logo, uma pessoa com peso inferior a 50 kg não poderia doar todo esse volume. Na Fundação Hemominas, coletamos bolsas de sangue de acordo com as seguintes condições: Homens acima de 50 Kg: 450ml; Mulheres entre 50 e 55,9 Kg: 410ml; Mulheres com 56 kg ou mais: 450ml. O peso será verificado no momento da doação e será descontado um quilo referente ao peso da roupa.

Pessoas com pressão baixa também não podem fazer a doação?

A pressão arterial é aferida no momento da doação. A pressão sistólica (máxima) não poderá exceder 180mmHg ou estar abaixo de 90mmHg; a pressão diastólica (mínima) não poderá exceder 100mmHg ou estar abaixo de 60mmHg. É bom lembrar que a pressão arterial pode se modificar rapidamente, em resposta a exercícios físicos e ansiedade. Assim, é importante não fazer esforço vigoroso antes de doar e permanecer tranquilo antes e durante a entrevista, para evitar que a doação não se efetive, devido a uma alteração aguda da pressão arterial. 

O uso de remédios ou vacinas impede a doação de sangue? 

Alguns medicamentos podem impedir a doação. Por isso, se estiver em uso de algum medicamento, é importante consultar o site www.hemominas.mg.gov.br, ou enviar uma mensagem para o “Fale Conosco”, para obter os esclarecimentos antes de doar. Em relação às vacinas, também é necessário consultar  site da Hemominas para saber o período de impedimento. Para a imunização contra a Covid-19, por exemplo, temos os seguintes períodos de inaptidão: Coronovac/Sinovac: 48 horas (após cada dose); Covishield/Serum/AstraZeneca/Fiocruz: 7 dias (após cada dose). 

A medula óssea doada beneficia pacientes de quais doenças?

Pacientes com produção anormal de células sanguíneas, geralmente causadas por algum tipo de câncer, são os que necessitam do transplante da medula óssea. Ela é encontrada no interior dos nossos ossos e produz os componentes do sangue como as hemácias ou células vermelhas, os leucócitos ou células brancas e as plaquetas. 

Como é o processo para se cadastrar como doador de medula óssea? 

Para realizar o cadastro, o interessado deve ter idade entre 18 e 55 anos, ter boa saúde e não apresentar doenças, principalmente infecciosas e hematológicas. É necessário iniciar o pré-cadastro pelo aplicativo do REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea), disponível para Android e IOS. No dia agendado para coleta de sangue, é feito o exame de HLA com a amostra coletada. O tipo de HLA do doador é incluído no cadastro do REDOME, que é ligado ao INCA (Instituto Nacional de Câncer) e subordinado ao Ministério da Saúde. Quando aparece um paciente que necessita de transplante de medula óssea, todas as compatibilidades de HLA são analisadas. Caso haja compatibilidade com o paciente, outros testes sanguíneos são realizados. Quando a compatibilidade for confirmada para todos os quesitos, o doador é consultado sobre a situação e decide se vai doar ou não. 

A doação de medula óssea traz algum problema para o doador? 

Os riscos são praticamente inexistentes para os doadores. Apenas 10% da medula óssea é retirada e, normalmente, dentro de algumas semanas, o organismo reconstitui essa quantidade. As chances de encontrar um doador compatível são de cerca de 30% entre irmãos, podendo chegar a um em cada 100 mil, entre pessoas que não são parentes. Por isso, dizemos que com o cadastro de doador de medula óssea, você doa esperança. Se for compatível, você tem a oportunidade de doar vida!

 


Esse site armazena dados (como cookies), o que permite que determinadas funcionalidades (como análises e personalização) funcionem apropriadamente. Clique aqui e saiba mais!