Notícias

Outros

Junho laranja

Dra. Kelly Araújo, da ala de queimados do HJXXIII, fala sobre o Junho Laranja

Em 6 de junho é celebrado o dia Dia Nacional de Luta contra Queimaduras, a data foi estabelecidada pela Lei nº 12.026, de 9 de setembro, de 2009. A Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ) apresenta, no mês de junho, a campanha “Álcool e Fogo: mantenha o distanciamento. Contra queimaduras, prevenção é a vacina”. O Minas Tênis Clube, por meio de seu braço socioambiental, o Programa Minas Tênis Solidário (PMTS), abraça a campanha iluminando suas edificações da rua da Bahia e o prédio do Relógio, durante o mês de junho, com a luz laranja.

Fachada da Sede Social do Minas I iluminada de laranja para lembrar sobre os cuidados para prevenir queimaduras.Fachada da Sede Social do Minas I iluminada de laranja para lembrar sobre os cuidados para prevenir queimaduras. Foto: Valdir Pinheiro.

A dra. Kelly Araújo, médica cirurgiã plástica, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Queimaduras regional Minas Gerais e coordenadora do Centro de Tratamento de Queimados Professor Ivo Pitanguy, do Hospital João XXIII (HJXXIII) alerta que, desde a detecção do no novo coronavírus, o álcool tornou-se protagonista na prevenção da Covid-19, sendo fortemente veiculada sua eficiência em eliminar o vírus. Além da versão em gel, foi liberado o uso do álcool líquido 70%, que é altamente inflamável. “Desde o início da pandemia observamos um aumento do número de pacientes queimados por álcool (até 68%). Não sabemos dizer se houve aumento no número de vítimas de queimaduras no total porque muitas pessoas deixaram de procurar atendimento médico devido ao medo de contrair a Covid-19”.

Na entrevista a seguir, dra. Kelly fala sobre o aumento do número de vítimas de queimaduras e dá dicas de prevenção.

 

Atualmente, quantos são os casos de queimaduras? Qual é a faixa etária das vítimas? Quais são os tipos de queimaduras mais comuns?

Acontecem anualmente cerca de 150 mil internações  por queimaduras no Brasil e um milhão no mundo todo e as crianças são 30% desse número. No Hospital João XXIII (HJXXIII) são feitos aproximadamente dois mil atendimentos por ano de pacientes queimados. O tipo mais comum de queimadura é por liquido quente, como água ou óleo, são as chamadas escaldaduras. Acometem principalmente crianças. 

 

Desde o início da pandemia do coronavírus, houve um aumento no número de vítimas de queimaduras? Quanto? Por qual motivo houve esse aumento?

Desde o início da pandemia, observamos um aumento do número de pacientes queimados por álcool (até 68%). Não sabemos dizer se houve aumento no número de vítimas de queimaduras no total porque muitas pessoas deixaram de procurar atendimento médico devido ao medo de contrair a Covid-19. Sendo assim, casos menores podem não ter sido contabilizados. Mas casos mais graves, por álcool, aumentaram. Tal fato foi observado em 2020, com aumento significativo em 2021, considerando os dados do HJXXIII.  O álcool não era usado no nosso cotidiano como agora o é. Adultos e crianças estão acessando álcool nos ambientes de seu lar, ao alcance de todos. 

Explique o slogan da campanha “Álcool e Fogo: mantenha o distanciamento. Contra queimaduras, prevenção é a vacina!”

As pessoas têm utilizado o álcool, passando no corpo álcool gel ou líquido e acabam se aproximando de fogo, levando a combustão. Ao se utilizar álcool, não se aproximar do fogo. 

Quais as ações da Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ) para conscientização do uso do álcool e prevenção de acidentes?

A SBQ tem produzido cartilhas, vídeos e disponibilizado no site a campanha de prevenção de queimaduras voltada para a questão do álcool. No mês Junho Laranja várias lives e palestras estão acontecendo on-line. Há material para divulgação em redes sociais. Para alertar a população sobre essa questão, estão buscando parceiros que iluminem na cor laranja monumentos públicos e privados durante o mês de junho. 

Quais são as medidas para prevenir as queimaduras?

A principal medida para prevenir as queimaduras por álcool é dar preferência à higienização das mãos por água e sabão. Sempre que tiver água e sabão disponível, não é necessário utilizar o álcool. Ou seja, no ambiente doméstico não há necessidade do uso de álcool. Nem para higiene das mãos e corpo e nem para limpeza da casa, que pode ser feita por saneantes de limpeza habituais. Queimaduras por água quente são evitadas ao não deixar crianças na cozinha, colocar panelas com líquido no fundo do fogão, com os cabos virados para trás, não manipular panelas com criança no colo, não tomar líquidos quentes perto de crianças, colocar ferro de passar roupa e chapinha de cabelo para esfriar longe do acesso da criança, sem cabo pendurado. Cobrir tomadas com protetores. Utilizar dispositivos ou pedaço de pão com óleo para acender churrasqueira.

Dê dicas de como utilizar o álcool de maneira segura?

O álcool gel demora mais para secar. Portanto deve-se aguardar por um período maior para garantir que seque adequadamente. Evitar uso de álcool líquido, pela maior volatilidade e risco de combustão. Supervisionar crianças quando utilizarem álcool. Não acender churrasqueira com álcool, dando preferência para produtos para este fim. 


Esse site armazena dados (como cookies), o que permite que determinadas funcionalidades (como análises e personalização) funcionem apropriadamente. Clique aqui e saiba mais!