Notícias

Cultura

Novos ângulos

Os diferentes olhares de desportistas do Minas sobre as obras de Amilcar de Castro

“Gostaria, sim, de mostrar o espaço ainda não visto. O espaço reinventado de assombros e sem alarde. Mas que se mostra novo, sempre novo”, escreveu Amilcar de Castro, no poema que estava plotado na parede da Galeria de Arte do Centro Cultural Unimed-BH Minas. Levando em conta a ideia do artista de apreciar as obras sempre de forma nova, sob ângulos diferentes, a reportagem da Revista do Minas convidou seis atletas e um treinador minastenistas para visitar a exposição “Amilcar de Castro – Matéria e Luz”, falar de sua percepção sobre as obras e fotografar a que mais os impressionou.

Camila Mesquita, jogadora da equipe de vôlei Itambé/Minas.Camila Mesquita, jogadora da equipe de vôlei Itambé/Minas.

"O artista deixa a gente mais próximo da obra dele. Cada pessoa pode ter a sua visão específica da peça. Além do esporte, que é muito forte, o Minas apresenta cultura para todos, desde os pequenininhos até os idosos. Isso é genial da parte do Minas”.

 

Lucas Bittencourt, ginasta.Lucas Bittencourt, ginasta.

“Nunca tinha visto uma exposição com obras de aço dobrado. O jogo de luz que elas produzem é bem legal e, à medida que vamos andando em torno da obra, a sombra e a obra mudam completamente”.

 

Maria Taba, judocaMaria Taba, judoca

“A pintura é diferente e enorme, me chamou muito a atenção. Eu não conheço muito de arte. Achei muito interessante essas obras e poder ficar aqui, nesse ambiente, sozinha, como eu fiquei, dá tranquilidade”.

 

David Jackson, o DJ. ala/armador da equipe Minas StormDavid Jackson, o DJ. ala/armador da equipe Minas Storm

“É muito legal ver como ele transformou o material em uma obra de arte. É muito criativo. Você pode criar a partir de sua própria visão. As pessoas olham, por exemplo, essa escultura, e podem se inspirar, vão para casa e tentam criar algo. Eu vejo o Michael Jordan e tento fazer jogadas inspiradas nas jogadas dele”.

 

Nicola Negro, técnico da equipe de vôlei feminino Itambé/Minas.Nicola Negro, técnico da equipe de vôlei feminino Itambé/Minas.

“São obras interessantes, especialmente o jogo de luz, pois criam novas formas. A arte é sempre fonte de inspiração e leva a uma emoção diferente”.

 

Marco Antônio Júnior, nadador,Marco Antônio Júnior, nadador,

“Achei a forma dessa obra muito diferente. Parece que, à medida que vamos andando em torno dela, ela vai mudando de tamanho e de forma. Ela muda completamente”. Marco Antônio Júnior, nadador, sobre “Estrela”, criada em 1952.

 

Sucesso confirmado

A exposição “Amilcar de Castro – Matéria e Luz”, em comemoração aos 100 anos de nascimento do artista, ficou na Galeria do Centro Cultural Unimed-BH Minas de novembro de 2020 a janeiro de 2021 e reuniu cerca de 50 obras. A mostra foi realizada com o patrocínio máster do Instituto Unimed-BH e curadoria de Rodrigo de Castro. Mesmo com restrições de visitação, limitada a 30 pessoas simultaneamente, por causa da pandemia de Covid-19, a exposição foi destaque na imprensa mineira e recebeu, em três meses, cerca de 1.500 visitantes.

 

Patrocínio MásterInstituto Unimed-BH.

Siga como redes sociais oficiais da cultura de Minas:

Facebook : / mtccultura
Instagram : @mtccultura

 


Esse site armazena dados (como cookies), o que permite que determinadas funcionalidades (como análises e personalização) funcionem apropriadamente. Clique aqui e saiba mais!