Notícias

Cultura

Como ler Lygia Fagundes Telles

Programa literário fala sobre escritora que morreu em abril, aos 103 anos

O Letra em Cena. Como ler..., programa literário do Centro Cultural Unimed-BH Minas, apresenta na edição de maio a análise da obra de Lygia Fagundes Telles (1918 – 2022). O curador do programa, o jornalista José Eduardo Gonçalves, conversa com escritor pernambucano Marcelino Freire, no dia 17, terça-feira, às 20h, no canal oficial do Minas Tênis Clube no YouTube. A leitura de textos de Lygia será feita pelo ator Odilon Esteves.

 

Dama da literatura brasileira e a maior escritora nacional, eram alcunhas de Lygia. Advogada, romancista e contista, Lygia foi procuradora do Instituto de Previdência do Estado de São Paulo, foi presidente da Cinemateca Brasileira e em 1977 fez parte da comissão que entregou ao ministro da Justiça o Manifesto dos intelectuais, abaixo-assinado contra a censura imposta pelo regime militar vigente no Brasil de 1964 a 1985.

Marcelino Freire será o entrevistado do Letra em Cena sobre Lygia Fagundes Telles. Foto: Renato ParadaMarcelino Freire será o entrevistado do Letra em Cena sobre Lygia Fagundes Telles. Foto: Renato Parada

Lygia ocupou a cadeira nº 16 da Academia Brasileira de Letras por 35 anos, venceu os prêmios Jabuti e Camões e faz parte da terceira geração dos escritores modernistas. “Sou, como escritora, uma testemunha desse nosso tempo e dessa nossa sociedade”, disse a autora. Dessa forma, uma característica de seus textos é a presença de sua visão sobre a política e a sociedade. Outra característica dos escritos de Lygia Fagundes Telles é o caráter intimista e a profundidade na pesquisa e na formação do perfil psicológicos das personagens.

Dentre as obras de Lygia, vale destacar “Ciranda de Pedra”, seu primeiro romance, publicado em 1954, e em 1981 foi adaptado para a linguagem da telenovela por Teixeira Filho e dirigida por Wolf Maia e Reginaldo Boury.

A escritora morreu aos 103 anos e declarou que via na literatura o poder de salvar o leitor. “A criação literária? O escritor pode ser louco, mas não enlouquece o leitor, ao contrário, pode até desviá-lo da loucura. O escritor pode ser corrompido, mas não corrompe. Pode ser solitário e triste e ainda assim vai alimentar o sonho daquele que está na solidão”, disse a escritora em uma entrevista.

Serviço

Letra em Cena on-line. Como ler Lygia Fagundes Telles, por Marcelino Freire

Data: 17 de maio, terça-feira.
Horário: 20h.
Transmissão: canal oficial do Minas Tênis Clube no YouTube (youtube.com.br/minastcoficial).

Siga as redes sociais oficiais da cultura do Minas:

Facebook : / mtccultura
Instagram : @mtccultura

 

 

 


Esse site armazena dados (como cookies), o que permite que determinadas funcionalidades (como análises e personalização) funcionem apropriadamente. Clique aqui e saiba mais!