Notícias

Cultura

Vem aí a Biblioteca do Minas

Abertura do novo espaço do Centro Cultural Unimed-BH Minas está prevista para os próximos meses

Ainda no primeiro semestre deste ano, o Centro Cultural Unimed-BH Minas (CCUnimed-BH Minas) terá sua biblioteca. O conceito do espaço está sendo elaborado por Cleide Fernandes, bibliotecária e Gestora Cultural da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas, e Fabíola Farias, profissional de Letras e pós-doutora em Ciência da Informação; e o projeto do espaço físico é assinado pela arquiteta Isabela Vech. A biblioteca terá acervo de seis mil títulos, entre literatura nacional e estrangeira, para todas as idades.

“A biblioteca do Minas faz parte dos planos de expansão do nosso Centro Cultural e, com a parceria da Unimed-BH, ela está saindo do papel. Vamos oferecer à população um novo espaço de conhecimento e capacitação, alinhados ao nosso compromisso social de contribuir para a democratização da cultura em nossa capital’, afirma o presidente do Clube, Ricardo Santiago.

A diretora institucional do Instituto Unimed-BH, a médica neurologia Maria das Mercês, destaca a importância da leitura no cotidiano das pessoas. “O hábito da leitura é extremamente saudável e deve ser exercitado diariamente. Além disso, ler amplia nosso conhecimento sobre o mundo e a sociedade em que vivemos, nos transformando em cidadãos mais conscientes”, observa.

 

Fabíola Farias, profissional de Letras e pós-doutora em Ciência da Informação, e  Cleide Fernandes, bibliotecária e Gestora Cultural da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas, responsáveis pelo conceito da bibloteca do Centro Cultural Unimed-BH Minas. Foto: Arquivo pessoalFabíola Farias, profissional de Letras e pós-doutora em Ciência da Informação, e Cleide Fernandes, bibliotecária e Gestora Cultural da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas, responsáveis pelo conceito da bibloteca do Centro Cultural Unimed-BH Minas. Foto: Arquivo pessoal

De acordo com Cleide Fernandes e  Fabíola Farias, autoras do livro “História afetiva de leitores e bibliotecas em Belo Horizonte”, as bibliotecas estão ampliando seu conceito e oferecendo atividades que vão além da leitura. “Tudo pode acontecer na biblioteca: sessões coletivas de leitura, encontros de clubes do livro, debates, saraus, oficinas e tempo para que as pessoas manuseiem os livros ou leiam sossegadamente”, afirma Cleide.

“As bibliotecas representam convites mais ampliados: em suas estantes encontramos, muitas vezes, o que não buscávamos; descobrimos autorias e títulos que não conhecíamos; conhecemos pessoas que nos sugerem leituras e que consideram as nossas sugestões; falamos sobre o que lemos e ouvimos o que outras pessoas têm a dizer; participamos de atividades que nos aproximam de perspectivas que não havíamos imaginado”, completa Fabíola Farias.

Para as duas especialistas, os e-books não substituirão os livros de papel. “Alguns tipos de livros se realizam muito mais plenamente no papel e essa experiência é importante para muitos leitores. Os e-books são apenas mais um formato para a leitura”, destaca Cleide Fernandes.

 

Imagem ilustrativa da Biblioteca do Centro Cultural Unimed-BH MinasImagem ilustrativa da Biblioteca do Centro Cultural Unimed-BH Minas

Biblioteca do Centro Cultural Unimed-BH Minas 

A biblioteca do Centro Cultural Unimed-BH Minas será aberta ao público, oferecendo acervo para todas as faixas etárias, inclusive crianças e adolescentes, que encontrarão obras da produção editorial brasileira e uma seleção especial feita para atender à primeira infância (crianças de zero a seis anos). Também estarão disponíveis livros de não-ficção, graphic novels, obras de referência e uma coleção sobre esportes, jornais e revistas. A acessibilidade universal estará incorporada ao novo espaço, incluindo livros em braille, audiolivros e videolivros com interpretação em libras.

A biblioteca do Minas também terá atividades integradas aos projetos do Centro Cultural Unimed-BH Minas. “Junto à Galeria de Arte e aos projetos que já são desenvolvidos pelo Minas, como o programa literário 'Letra em cena. Como ler...', a biblioteca fortalecerá a ação cultural no equipamento. Não pensamos exatamente em oferecer satisfação, mas sim experiências e encontros, de e com pessoas e livros e artes”, conclui Cleide Fernandes.

Sobre o Instituto Unimed-BH 

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH, desde 2003, desenvolve projetos visando ampliar o acesso à cultura, estimular o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas, valorizar espaços públicos e o meio ambiente e contribuir com a formação para a cidadania. É responsável pela realização do Programa Sociocultural Unimed-BH que, ao longo de sua história, destinou cerca de R$140 milhões ao setor cultural, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e da Lei Federal de Incentivo à Cultura, gerando milhares de postos de trabalho, impulsionados pelo patrocínio de mais de 5.200 médicos cooperados e colaboradores. Anualmente milhares de pessoas são alcançadas por meio de projetos de cinco linhas de atuação: Comunidade, Voluntariado, Meio Ambiente, Adoção de Espaços Públicos e Cultura, alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Neste ano, todas as iniciativas do Instituto celebram os 50 anos da Unimed-BH. 

Siga como redes sociais oficiais da cultura de Minas:

Facebook : / mtccultura
Instagram : @mtccultura

 


Esse site armazena dados (como cookies), o que permite que determinadas funcionalidades (como análises e personalização) funcionem apropriadamente. Clique aqui e saiba mais!